quinta-feira, 18 de maio de 2017

Quinta-feira

De novo eu não me sinto bem. Quando foi mesmo a última crise? Não me lembro se faz tempo, mas agora, tudo o que eu sinto a deixa viva, como se tivesse acontecido ontem. Quando as coisas ficassem insuportáveis eu prometi que iria escrever. E cá estou eu novamente, numa quinta-feira, sentada na mesa do trabalho, lutando contra os meus demônios que não me deixam fazer nada, nem sequer enviar um e-mail. Hoje foi um pouco difícil de levantar da cama e entrar no chuveiro, mas eu achei que fosse o frio ou o resultado de mais uma noite mal dormida. Se eu tivesse me atentado as pequenas coisas perceberia que na realidade eu já acordei sabendo que este seria um dia de batalhas. Estou tonta e com vontade de vomitar. Tenho um aperto tão grande dentro do peito que piora a cada respiração. Então eu evito respirar com vontade, faço só o movimento necessário para continuar sobrevivendo. Tentei de novo me machucar. É engraçado como encaro as minhas crises. Parece que uma dor maior alivia a dor que sinto no meu peito e afasta esse sentimento ruim. Então eu me machuco. Só o suficiente para não deixar novas marcas pelo corpo, só o suficiente para me lembrar que ainda tenho sangue correndo pelas minhas veias e que ainda não chegou a hora de desistir por completo. Tenho dificuldade em sobreviver.

18.05.2017