terça-feira, 28 de março de 2017

Quinta-feira

Eu tive uma crise hoje pela manhã. Eu não conseguia respirar. Sentia como se a cada segundo pudesse perder todo o ar de meus pulmões e entrar em colapso. Minha garganta parecia fechar, como se eu tivesse alergia do que acontecia ao meu redor. Eu pensei em morrer e continuo pensando. Escrevo enquanto ela persiste dentro de mim. Enquanto meus olhos continuam marejados e escorrem fora de meu controle. Só consigo pensar em maneiras para aliviar a dor. Enquanto penso, já se foram 1500 mg de paracetamol e diversos arranhados pelos braços, buscando apenas sobreviver a essa situação. Então a cada crise eu minto. Minto no meu trabalho dizendo que tenho dor e por isso choro, minto para meus pais dizendo que só estou cansada e principalmente, eu mim pra mim afirmando que eu não estou ficando louca. Mas até que ponto isso é verdade? Até que ponto devo encarar essas crises como algo que "explodiu e passou"? A cada dia eu sinto que morro, que um pedacinho de uma parte boa é automaticamente substituído por uma parte ruim e isso só me deixa mais mal. Eu não sei como sair do meu estado atual. Não "vai passar". Não "é só uma fase". Eu quero parar de doer.

(Essa foi a primeira vez que escrevi durante uma crise. Acreditei que me ajudaria a ficar melhor, não ajudou. 23/03/2017)